PSICOLOGIA E ODONTOPEDIATRIA: POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO EM UMA CLÍNICA - ESCOLA

Keyssiane Maria Alencar Lima, Anice Holanda Nunes Maia, Milena de Holanda Oliveira Bezerra

Resumo


Este artigo aborda a importância da atuação da psicologia junto aos pacientes da odontopediatria em contexto de ansiedade, medo e dor, utilizando técnicas lúdicas e intervenções psicológicas como instrumento de apoio aos pacientes. O objetivo do estudo foi relatar a experiência vivida por uma estudante de psicologia e pesquisadora, no projeto de extensão Núcleo Interdisciplinar de Apoio ao Paciente Odontológico-NIAPO e junto aos pacientes assistidos na odontopediatria O estudo foi realizado na Odontopediatria de uma clínica-escola do Sertão Central. Projeto de iniciação científica do curso de psicologia local empreendeu a iniciativa em parceria com projeto de extensão da odontologia de realizar intervenções nesse espaço estruturando atividades a partir de estudo científico. Trata-se de um relato de experiência cujas intervenções foram realizadas semanalmente, às segundas-feiras pela manhã no período de março a junho de 2016. Aprovado pelo sistema CONEP/CEP 921.889. A atividade interventiva ocorreu por meio de intervenção individual e acompanhamento do procedimento odontológico, cujo público foi às crianças pacientes da clínica de odontopediatria, que apresentam comportamentos de medo e ansiedade aos procedimentos realizados, presentes nos dias e horários de sua realização, com participação voluntária e autorizada. O perfil dos pacientes da odontopediatria, identificado por meio dessa prática revelou a necessidade de atuação mais humanística, exigida situação e pelo estado emocional de muitos pacientes infantis. A fala das próprias crianças, dos pais e estudantes de odontologia, os quais eram responsáveis pela realização dos procedimentos, evidenciaram a importância desse suporte psicológico na clínica de odontopediatria, ratificando a necessidade e valia da atuação do psicólogo nesse contexto.


Palavras-chave


Odontopediatria. Intervenções. Psicologia. Criança.

Texto completo:

PDF

Referências


CARVALHO, R. W. F. de et. al. Ansiedade frente ao tratamento odontológico: prevalência e fatores preditores em brasileiros. Pernambuco, Ciência & Saúde Coletiva, v.17, n.7, p.1915-1922, 2012.

COSTA, L.S.T. Redução de estresse e de não colaboração em pacientes

odontopediátricos: avaliação da eficácia de intervenção psicológica. São Paulo, 2009. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba.

CORTELO, F. M. et. al. Crianças em atendimento odontológico: arranjos

psicológicos para a intervenção. São Paulo, Omnia Saúde, v.11, n.1, p.01-14, 2014.

ELEUTÉRIO, A. S. de L. et al. Homeopatia no controle do medo e ansiedade ao tratamento odontológico infantil: revisão. Rev. Odontol. Univ. Cid. São Paulo, v. 23, n.3, p.238-244, set./dez. 2011.

MACEDO, F. A. F. de F. et. al. Ansiedade Odontológica em um Serviço de Saúde Bucal de Atenção Primária. Pesquisa Brasileira Odontopediatria Clínica Integrada, João Pessoa, v.11, n.1, p. 29-34, jan./mar. 2011.

MARQUES, K. B. G. Medo e ansiedade prévios à consulta odontológica em crianças. RBPS, Fortaleza, 23(4): 358-367, out./dez., 2010.

MELO, L. de L.; VALLE, E.R. M. do. A brinquedoteca como possibilidade para desvelar o cotidiano da criança com câncer em tratamento ambulatorial. Rev. Esc. Enfermagem, USP, v.44, n.2, p.517-525, 2010.

MOTA, L. de Q. D. et. al. Humanização no atendimento odontológico. Arq. Odontol, Belo Horizonte, 48(3): 151-158 jul/set 2012.

Centro de ensino superior e desenvolvimento (CESED). Sugestão Para elaboração do relato de experiência. Disponível em: . Acesso em: 30 mai. 2016.




Direitos autorais 2017 Revista Expressão Católica Saúde


ISSN: 2525-8540 | eISSN: 2526-964X

Indexadores
Este periódico está licenciado sobre a Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações CC BY-ND. Mais detalhes na página da licença