SAÚDE MENTAL E RELAÇÕES FAMILIARES: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA

Bruna Stênia Queiroz Melo, André de Carvalho Barreto

Resumo


A presente pesquisa teve por objetivo realizar uma revisão integrativa da literatura visando caracterizar a pesquisa em Psicologia sobre saúde mental no contexto das relações familiares. Para realizar esta revisão integrativa da literatura, optou-se como base de dados os Periódicos Eletrônicos em Psicologia (PePsic) que é considerado o maior indexador brasileiros de resumos e artigos completos em Psicologia. Foram utilizados nesta revisão os descritores: saúde mental e relações familiares. O resultado desta revisão identificou 52 artigos, destes artigos 19 foram estudos qualitativos, 10 quantitativos, nove relatos de experiência, nove teóricos, quatro revisões da literatura e uma pesquisa quanti-quali. Foi identificado que 18 pesquisas tiveram como amostra pessoas acometidas de algum transtorno mental (três estudos de depressão, um estresse no trabalho, um esquizofrenia, um psicose e autismo, um problemas de conduta). Isto nos leva à conclusão da necessidade de mais estudos de Psicologia sobre a saúde mental e relações familiares tendo uma amostra de que pessoas acometidas por algum transtorno mental é expressiva, o que deixa um hiato entre os profissionais que trabalham em serviços de saúde mental. Espera-se que mais pesquisas sobre relações familiares e saúde mental, consideradas sobre outros transtornos mentais, possam ser realizadas pela Psicologia para ampliar o conhecimento na área, o que colaborará para as práticas de intervenção e políticas públicas em saúde mental.

Palavras-chave


Literatura de Revisão como Assunto. Relações familiares. Saúde mental.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, L. Atenção psicossocial a famílias de pacientes em saúde mental. Interações, Campo Grande, v. 6, n. 11, 2001.

BARBOSA, L. R.; MELO; M. R. A. da C. Relações entre qualidade da assistência de enfermagem: revisão integrativa da literatura. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 61, n. 2, p 366-70, mai./jun. 2008.

BERK, L. Guia para cuidadores de pessoas com transtorno bipolar. São Paulo: Segmento Farma, 2011.

BORGES-ANDRADE, J. E. Aprendizagem por observação: perspectivas teóricas e contribuições para o planejamento instrucional - uma revisão. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 1, n. 2, p. 2-68, jul. 1981.

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde Mental no SUS: Os Centros de Atenção Psicossocial. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília – DF, 2004.

BRONFENBRENNER, U. Bioecologia do desenvolvimento humano: tornando os seres humanos mais humanos. Tradução de André de Carvalho-Barreto. Porto Alegre: Artmed. 2011.

CAMPOS, P. H. F.; SOARES, C. B. Representação da sobrecarga familiar e adesão aos serviços alternativos em saúde mental. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 11, 2005.

CARTER, B.; MCGOLDRICK, M. As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para a terapia familiar. Porto Alegre: Artmed. 1995.

CARVALHO-BARRETO, A de; LIMA, K. S. S. de. Transição da pós-parentalidade no contexto do sertão cearense. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, vol. 25. 2013.

CARVALHO-BARRETO, A. de. Parentalidade no ciclo vital. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 18, n. 1, p. 147-156, jan./mar. 2013.

COOPER, H. M. Integrating research: a guide for literature reviews. London: Sage, 1989.

FINFGELD, D. Metasynthesis: the state of the art-so far. Qualitative Health Research. v. 13, n. 7, p. 893-904, 2003.

GUEDES, M. do C. De revista institucional a periódico científico: considerações para uma história de Psicologia: Ciência e Profissão. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 30, n. spe, p. 148-155, dez. 2010.

JORGE, M. T.; RIBEIRO, L. A. Fundamentos para o conhecimento científico: áreas da saúde. São Paulo: CLR Brasileiros Editores, 1999.

LIMA, M. S. de, SOARES; B. G.O., BACALTCHUK, J. Psiquiatria baseada em evidências. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 22, n. 3, p. 142-146, set. 2000.

LUIZ, A. J. B. Meta-análise: definição, aplicações e sinergia com dados espaciais. Cadernos de Ciência e Tecnologia, Brasília, v.19, n. 3, p.407-428, set./dez. 2002.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. de C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto em Enfermagem, Florianópolis, n. 17, v. 4, p. 758-64, out-dez, 2008.

PERISSÉ, A.R.S., GOMES, M.M., NOGUEIRA, S.A. Revisões sistemáticas (inclusive metanálises) e diretrizes clínicas. In: GOMES, M.M. (org). Medicina baseada em evidências: princípios e práticas. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso, p.131-134, 2001.

SANTEIRO, T. V. et al. Produção Científica sobre Família e Comunidade na Base de Dados PePSIC (2002/2012). Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 35, n. 2, p. 307-325, jun. 2015.

SILVEIRA, C. S.; ZYGO, M. M. F. Pesquisa brasileira em enfermagem oncológica: uma revisão integrativa. Revista Latino-americana de Enfermagem, São Paulo, v. 14, n. 4, 614-619, jul./ago. 2006.

SOUZA, M. T. de; SILVA, M. D. da; CARVALHO, R. de. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010.

VIDAL, A. A. Estrutura e dinâmica da família sertaneja: estudo exploratório das famílias agricultoras da região do Maciço de Baturité/CE. (Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE. 2007.

World Health Organization. World Health Report 2001. Mental Health: New Understanding, New Hope. Geneva: World Health Organization, 2001.




Direitos autorais 2017 Revista Expressão Católica Saúde


ISSN: 2525-8540 | eISSN: 2526-964X

Indexadores
Este periódico está licenciado sobre a Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações CC BY-ND. Mais detalhes na página da licença