RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE INSULINOTERAPIA: CRIATIVIDADE E PRATICIDADE NO DESCARTE CORRETO DA SERINGA

Regina Kelly Guimarães Gomes

Resumo


O diabetes mellitus é uma doença crônica que vem atingindo um percentual significativo da população brasileira, gerando preocupação devido às complicações que pode ocasionar, tornando-se um grave problema de saúde pública. Objetivou-se apresentar a experiência da criação e implementação de um invólucro para descarte de seringas de insulina no domicílio, a partir de recursos disponíveis no dia a dia do portador de diabetes tipo I. Trata-se de relato de experiência realizado por meio de uma pesquisa tecnológica, explicativa, observacional e descritiva, realizada no dia 17 de abril de 2016, com os pacientes portadores de diabetes tipo 1, assistidos em uma Unidade Básica de Saúde da Família (UBASF), situada no município de Quixadá-CE. A experiência mostrou que maioria dos pacientes não tem conhecimento suficiente sobre  técnica de aplicação do rodízio dos locais de insulina; não fazem o descarte correto das seringas e agulhas; e nem realizam os cuidados necessários com a alimentação e pés, por exemplo. Conclui-se, que a  atividade de educação em saúde, foi bastante enriquecedora para o paciente, principalmente ao ser apresentado a técnica de elaboração de embalagem para descarte de seringas de insulina no domicilio, a partir das condições sociais do paciente, por ser um invólucro de baixo custo e de fácil acesso e manuseio para o paciente em suas residências.

Palavras-chave


Diabetes. Invólucro. Insulinodependente. Educação em Saúde. Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, M.M.A.; RAMOS, N.; BENTO, I.C.; GAZZINELLI, M.F. Intervenção educativa na Diabetes Mellitus. Psic Saúde & Doenças, n.14, v.1, p.168-84, 2013.

ANDRÉ, S.C.S. Resíduos gerados no domicílio de indivíduos com diabetes melittus usuários de insulina. Revista Baiana de Saúde Pública. n. 36, v.4,p.86-87, 2012.

ANDRÉ, S.C.S. TAKAYANAGUI, A.M.M. Orientações sobre o descarte de resíduos gerados em domicílio de usuários de insulina. Revista Baiana de Saúde Pública, n.39, v.1,p.105-18, 2015.

BAZOTTE, R. B. Paciente diabético: Cuidados Farmacêuticos. Rio de Janeiro: MedBook, 2012.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diabetes Mellitus / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2006.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília, 2010.

CERVERA, D.P.P.; PARREIRA, B.D.M.; GOULART, B.F. Educação em saúde: percepção dos enfermeiros da atenção básica em Uberaba (MG). Ciênc Saúde Coletiva, n.16, v.1, p.1547-54, 2011.

DIRETRIZES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES 2009. Sociedade brasileira de diabetes. 3. ed. Itapevi: A. Araújo Silva Farmacêutica, 2009.

GARCES, S. B. B. Classificação e Tipos de Pesquisas. Universidade de Cruz Alta – Unicruz, 2010.

GAZZINELLI, M.F.; GAZZINELLI, A.; REIS, D.C.; PENNA, C.M.M. Educação em saúde: conhecimentos, representações sociais e experiência da doença. Cad Saúde Pública, n. 21, v.1, p.200-6, 2005.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUYTON, A. C., 1919-2003. Tratado de fisiologia médica / Arthur C. Guyton, John E. HALL, 2006; tradução de Barbara de Alencar Martins... [et al.]. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

INTERNATIONAL DIABETES FEDERATION. IDF Diabetes Atlas. 6th ed. Brussels: International Diabetes Federation, 2014

KLAFKE, A.; DUNCAN, B.B.; ROSA, R.S.; MOURA, L.; MALTA, D.C.; SCHIMIDT, M.I. Mortalidade por complicações agudas do diabetes melito no Brasil, 2006-2010. Epidemiol Serv Saude. n. 23, v.3, p.455-62, 2014.

MACIEL, M.E.D. Educação em saúde: conceitos e propósitos. Cogitare Enferm. n. 14, v.4, p.773-6, 2009.

MALTA, D.C.; MOURA, L.; PRADO, R.R.; ESCALANTE. J,C., S CHIMIDT, M.I.; DUNCAN. B.B. Mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e suas regiões, 2000 a 2011. Epidemiol Serv Saude, n. 23, v.4, p.599-608, 2014.

POLIT, D.F.; BECK, C.T. Fundamentos da Pesquisa em Enfermagem: avaliação de evidências para a prática de Enfermagem. 7. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2011.

SCHIMIDT, M.I.; DUNCAN, B.B.; SILVA, G.A.; MENEZES, A.M.; MONTEIRO, C.A.; BARRETO, S.M. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet, n.377, v.9781, p. 1949-61, 2011.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global action plan for the prevention and control of noncommunicable diseases 2013-2020. Geneva: World Health Organization, 2013.




Direitos autorais 2017 Revista Expressão Católica Saúde


ISSN: 2525-8540 | eISSN: 2526-964X

Indexadores
Este periódico está licenciado sobre a Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações CC BY-ND. Mais detalhes na página da licença