MECANISMOS ENVOLVIDOS NA PATOGÊNESE DO DIABETES INSÍPIDO

Yara Sousa Dutra, Saulo Almeida de Menezes, Ilana Lima Lopes, Francisco Sydney Henrique da Silva, Cícero Ramon Bezerra dos Santos

Resumo


O diabetes insípido (DI) é o mais importante distúrbio hipofuncional, causado pela deficiência de ADH, sendo caracterizado por poliúria (grande volume de urina) decorrente da incapacidade do rim de reabsorver apropriadamente a água nos túbulos renais. O presente artigo propõe realizar uma revisão de literatura sobre o diabetes insípido, enfatizando sua patogênese, tipos, consequências, diagnóstico diferencial e possíveis tratamentos. A seleção do material bibliográfico contemplou publicações contendo artigos nacionais e internacionais, livros e revistas, voltados para a patogênese, tipos, diagnóstico e tratamento do diabetes insípidos. As bases de dados utilizadas foram: Google Acadêmico, SciELO e LILACS.  As palavras-chave utilizadas foram: diabetes, insípidos e ADH. O critério de inclusão utilizado foi: trabalhos que abordassem aspectos gerais referentes à patogênese do diabetes insípido; sob forma de artigos, dissertações, teses e revisões. Como critérios de exclusão, os trabalhos que não apresentassem resumos na íntegra nas bases de dados pesquisadas não foram contemplados nesta revisão. Pelo exposto, os principais mecanismos dessa patologia são a quantidade insuficiente de vasopressina, que leva ao diabetes insípido central ou neurogênico, e falhas da resposta renal à vasopressina circulante, que condiciona o diabetes insípido nefrogênico. Uma vez que essa patologia pode, muitas vezes, ser confundida com o diabetes mellitus, é necessária a realização do diagnóstico diferencial precoce. A realização desta revisão de literatura é fundamental no auxilio às futuras pesquisas com o diabetes insípidos.

Palavras-chave


Diabetes. Insípidos. ADH.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 68 de 1 de Novembro de 2006. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Diabetes Insípido. Disponível em: . Acesso em 24 de setembro de 2016.

FIGUEIREDO, D. M.; RABELO, F. L. A. Diabetes insipidus: principais aspectos e análise comparativa com diabetes mellitus. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, v. 30, n. 2, p. 155­162, 2009.

FITZGERALD, P. A. Endocrine Disorders. In: MCPHEE, S. J.; PAPADAKIS, M. A. Current Medical Diagnosis & Treatment. New York, NY: McGraw-Hill, 2009.

GREENSPAN, F. S.; STREWLER, G. J. Endocrinologia: básica & clínica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

KUMAR, V.; ABBAS, A. K.; FAUSTO, N.; ASTER, J. C. Robbins & Cotran: Patologia - bases patológicas das doenças. 8ª Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

MACEDO, C. S.; SIMÕES, A. C. P.; RIYUZO, M. C.; BASTOS, H. D. Diagnóstico e resposta terapêutica em dois pacientes com Diabetes insipidus nefrogênico. Revista Paulista de Pediatria, v. 24, n. 1, p. 78-84, 2006.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 7ª Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MOTTA, V. T. Bioquímica clínica para o laboratório – princípios e interpretações. 5° Ed. Rio de Janeiro: MedBook, 2009.

NAVES, L. A.; VILAR, L.; COSTA, A. C. F.; DOMINGUES, L.; CASULARI, L. A. Distúrbios na secreção e ação do hormônio antidiurético. Revista Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, Rio de Janeiro, v. 47, n. 1, p. 467-474, 2003.

NELSON, D. L.; COX, M. M. Princípios de bioquímica de Lehninger. 6ª Ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

NGUYEN, M. K.; NIELSEN, S.; KURTZ, I. Molecular pathogenesis of nephrogenic diabetes insipidus. Clinical and experimental nephrology, v. 7, n. 1, p. 0009-0017, 2003.

OLIVEIRA, J. L. D.; JÚNIOR, S.; ABREU, K. L. S. D.; ROCHA, N. D. A.; FRANCO, L. F. L. G.; ARAÚJO, S. M. H. A.; DAHER, E. D. F. Lithium nephrotoxicity. Revista da Associação Médica Brasileira, v. 56, n. 5, p. 600-606, 2010.

PINTO, R. M.; SANTOS, J.; SORBO, G.; TORRES, I.; PEDRO MANSO, P. Diabetes insípidia nefrogénica e gravidez: a propósito de um caso clínico. Revista de Saúde Amato Lusitano, v. 36, p. 13-15, 2014.

POSWAR, F. O.; CARNEIRO, J. A.; ALVES, I. M.; OLIVEIRA JÚNIOR, E. R.; DIAS, L. T. F. F.; NOVAIS NETO, E. Consanguinidade e síndrome de Wolfram. Relato de caso. Revista Brasileira de Clínica Médica, v. 10, n. 2, p. 155-7, 2012.

RIBEIRO, M. R. F.; CRISPIM, F.; VENDRAMINI, M. F.; MOISÉS, R. S. Síndrome de Wolfram: da definição às bases moleculares. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 50, n. 5, p. 839-844, 2006.

RODRÍGUEZ-ÁLVAREZ, M. L.; GALOFRE, M. R. A.; PANADERO-CARLAVILLA, F. J. Diabetes insípida. Panorama Actual del Medicamento, v. 31, n. 304, p. 515, 2007.

ROSENTHAL, W.; ANTARAMIAN, A. N. A. I. D.; GILBERT, S.; BIRNBAUMER, M. Nephrogenic diabetes insipidus. A V2 vasopressin receptor unable to stimulate adenylyl cyclase. Journal of Biological Chemistry, v. 268, n. 18, p. 13030-13033, 1993.

VAN-LIEBURG, A. F.; VERDIJK, M. A.; KNOERS, V. V.; VAN-ESSEN, A. J.; PROESMANS, W.; MALLMANN, R.; L. A. H. MONNENS; VAN-OOST, B. A.; VAN-OS, C. H.; DEEN, P. M. Patients with autosomal nephrogenic diabetes insipidus homozygous for mutations in the aquaporin 2 water-channel gene. American Journal of Human Genetics, v. 55, n. 4, p. 648, 1994.

VERBALIS, J. G. Hipófise Posterior. In: GOLDMAN, L.; SCHAFER, A. I. Cecil Medicina. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.




Direitos autorais 2017 Revista Expressão Católica Saúde


ISSN: 2525-8540 | eISSN: 2526-964X

Indexadores
Este periódico está licenciado sobre a Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações CC BY-ND. Mais detalhes na página da licença