INCIDÊNCIA DE CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL ATENDIDAS NA CLÍNICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA DA UNICATÓLICA

Maria Tatiane Silva Ferreira

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi identificar a incidência da faixa etária, do gênero, tipos e modos de PC através de análises de prontuários de crianças atendidas na Clínica Escola de Fisioterapia do Centro Universitário Católica de Quixadá no período de 2011 a 2015. Tratou-se de um estudo exploratório, descritivo e com uma abordagem quantitativa. Foram coletados 25 prontuários nos quais se constatou que (52,0%) eram do sexo masculino, enquanto (48,0%) eram do sexo feminino. Em relação à faixa etária foi encontrada uma média de 05 anos, com idade mínima de 01 ano e a máxima de 10 anos, sendo que a prevalência maior foi crianças com PC de 04 anos de idade com 28,0% dos prontuários avaliados e a menor prevalência em crianças com 01 ano com 4%. Em relação aos tipos e modos de PC foram encontrados 32,0% dos prontuários analisados sem tipo específico, do tipo espástico com 48,0%, PC associado à microcefalia com 16,0% e do tipo atetóide foi encontrado apenas o que corresponde a 4% dos dados analisados. Por fim, no que diz respeito aos modos de acometimentos a Triplegia apresentou com 8% dos casos, Quadriplegia com 20,0% e os demais 72,0%, não tiveram modos de acometimento determinado no diagnóstico médico.

Palavras-chave


Paralisia Cerebral. Faixa etária. Tipos e Modos.

Texto completo:

PDF

Referências


CARGNIN, A. P. M.; MAZZITELLI, C. Proposta de tratamento fisioterapêutico para crianças portadoras de paralisia cerebral espástica, com ênfase nas alterações musculoesqueléticas. Rev. Neurociências, v.11, n.1, p.34-39, 2012.

DANTAS, M. S. A. et al. Impacto do diagnóstico de paralisia cerebral para a família. Texto & Contexto Enferm,Florianópolis,v.19, n.2, p.229-237, Abr-Jun, 2010.

DIAS, A. C. B.; FREITAS, J. C.; FORMIGA, C. K. M. R.; VIANA, F. P. Desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral participantes de tratamento multidisciplinar. Rev. Fisioterapia Pesquisa,Paulo – SP,v.17, n.3, São, Set, 2010.

LEITE, D. F et al., A função motora grosseira de crianças e adolescentes com paralisia cerebral e a qualidade de vida de seus cuidadores. Rev. Bras. De Cienc. Da Saúde, v.9, n.29, Jul-Set, 2011.

LEITE, J. M. S.; PRADO, G. F. Paralisia Cerebral - aspectos fisioterapêuticos e clínicos. Rev. Neurociências, p.41-45, 2012.

SARI, F. L.; MARCON, S. S. Participação da família no trabalho fisioterapêutico em crianças com paralisia cerebral. Rev. bras. crescimento desenvolvimento hum,v.18, n.3, p.229-239, 2008.

ZANINI, G.; CEMIN, N.F.; PERALLES, S.N. Paralisia cerebral: causas e prevalências. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 22, n. 3, p. 375-381, jul./set. 2009.




Direitos autorais 2017 Revista Expressão Católica Saúde


ISSN: 2525-8540 | eISSN: 2526-964X

Indexadores
Este periódico está licenciado sobre a Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações CC BY-ND. Mais detalhes na página da licença