HORTO MEDICINAL EM UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL – UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Sandna Larissa Freitas Santos, Leandro Lima de Vasconcelos, Hévila Suellen Teixeira Tavares, Cinara Vidal Pessoa, Karla Bruna Nogueira Torres Barros

Resumo


A utilização das plantas está em constante crescimento por sua importância terapêutica e baixo custo de produção. Em virtude da amplitude de conhecimentos, tornou-se comum a utilização de ervas medicinais que apresentam caráter calmante para pacientes com transtornos mentais, no intuito de reduzir a agressividade, ansiedade e a agitação, sendo algumas delas usadas até mesmo em pacientes depressivos. O estudo tem como objetivo apresentar um relato de experiência da prática de implementação de um Horto Medicinal no Centro de Atenção Psicossocial-Geral de Quixadá-CE. Foi desenvolvida pela plantação de ervas, dentre elas: Capim santo, Erva Cidreira, Hortelã-japonesa e Chambá. Todas as etapas de realização do horto medicinal foram desenvolvidas pelos alunos e os usuários da instituição, sendo utilizada também como forma de terapia para aqueles pacientes que aguardavam suas consultas. Realizou-se orientações sobre as preparações caseiras medicinais e ainda disponibilizado materiais informativos sobre o emprego terapêutico de plantas medicinais no cuidado à saúde mental.  A experiência teve sua contribuição em levar o conhecimento aos usuários sobre as técnicas de plantas terapêuticas, contribuindo nas ações naturais além de realizar-se como atividade de terapia para pacientes com transtornos mentais.

Palavras-chave


Horto. Plantas Medicinais. Saúde Mental. CAPS.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDRE, R.F., GARCIA, F.N., SIMÕES, C.M. Fitoterapia Baseada em Evidências, Parte 1. Acta Farmacêutica Bonaerense, 2005.

ALVIM, N.A.T.; CABRAL, I.E. A aplicabilidade das plantas medicinais por enfermeiras no espaço do cuidado institucional. Revista de Enfermagem Escola Anna Nery, UFRJ, v. 5, Ago, 2002.

AZEVEDO, C. D.; MOURA, M. A. Cultivo de plantas medicinais: guia prático - Niterói: Programa Rio Rural, 2010.

AZEVEDO, S K S; SILVA, I M. Plantas medicinais e de uso religioso comercializadas em mercados e feiras livres no Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Acta bot. bras., v. 20, n. 1, p. 185-194, 2006.

BARRETO, B.B. Fitoterapia na Atenção Primária à Saúde: a visão dos profissionais envolvidos Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2011.

BRANDÃO, M.G.L; MOREIRA, R.A; ACURCIO, F.A; Interesse dos estudantes de Farmácia e Biologia por plantas medicinais e fitoterapia. Universidade Federal de Minas Gerias, Revista Brasileira de Farmacognosia, 2011.

BRASIL. Decreto Presidencial n° 5.813, 22 de junho de 2006. Dispõe sobre a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e dá outras providências. Brasília, 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5813.htm. Acesso em 19 de agosto de 2014.

CEARÁ. Decreto do Governo do Estado no 30.016, de 30 de dezembro de 2009. Aprova o Regulamento Técnico da Fitoterapia no Serviço Público do Estado do Ceara. [S.l.: s.n], 2009.

DUTRA, M. G. Plantas medicinais, fitoterápicos e saúde pública: um diagnóstico situacional em Anápolis, Goiás. Centro universitário de Anápolis mestrado em sociedade, tecnologia e meio ambiente. Anápolis, 2009.

KALLUF, L.J.H. Fitoterapia funcional: Princípios ativos à prescrição de fitoterápicos. 1.ed. São Paulo: VP Editora, 2008.

LOPES, M.A; NOGUEIRA, I.S; OBICI, S. Perfil de utilização de plantas medicinais da população atendida pela Estratégia Saúde da Família em Maringá-PR. VII EPCC – Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar. Anais Eletrônico. Editora: CESUMAR, Maringá-PR, 2011.

MATOS, F. J. A.. Plantas Medicinais : guia de seleção e emprego de plantas usadas em fitoterapia no nordeste do Brasil. 3,ed. Imprensa Universitária/Edições UFC, Fortaleza. 2007.

MOREIRA, M.R.P. Plantas medicinais: aspectos farmacológicos, toxicológicos e implicações na saúde da população carente do município de Quixadá – Ceará. Monografia. Faculdade Católica Rainha do Sertão. Quixadá, 2013.

OLIVEIRA, L. S. T.; CUNHA E SILVA, S. L.; TAVARES, D. C.; SANTOS, A.V.S.; OLIVEIRA, G. C. B. Uso de plantas medicinais no tratamento de animais. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 5, n. 8, 2009.

RATES, S.M.K. Promoção do uso racional de fitoterápicos: uma abordagem no ensino de Farmacognosia. Revista Brasileira Farmacognosia, 2001.

REZENDE, H. A; COCCO M. M. A utilização de fitoterapia no cotidiano de uma população rural. Revista Escola Enfermagem USP. São Paulo, v.36 n.3 p.282-8, 2002.

VEIGA JUNIOR, V.F.; PINTO, A.C.; MACIEL, M. A. Plantas Medicinais: A Necessidade de Estudos Multidisciplinares. Química Nova, vol.25, 429-438, 2002.




Direitos autorais 2017 Revista Expressão Católica Saúde


ISSN: 2525-8540 | eISSN: 2526-964X

Indexadores
Este periódico está licenciado sobre a Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações CC BY-ND. Mais detalhes na página da licença