PROPRIEDADE CICATRIZANTE DO ÓLEO DE GIRASSOL (Helianthus annuus L.): UMA REVISÃO DE LITERATURA

Rafael dos Santos Saturno, Luís Galdino Júnior, Yana Kerly Capistrano de Oliveira, Cinara Vidal Pessoa

Resumo


A pele, por ter uma superfície ampla, tornou-se o tecido mais exposto aos vários tipos de traumatismo. Diante das agressões, vários estudos foram sendo realizados enfatizando substâncias para auxiliar no reparo tecidual, destacando o óleo da semente de girassol (Helianthus annuus L.) considerado um óleo nobre muito utilizado nas aplicações em diversas finalidades, na indústria cosmética e farmacêutica. O objetivo desse trabalho é revisar na literatura científica as propriedades do óleo de girassol e enfatizar a importância do seu uso no processo de cicatrização. Realizou-se um estudo bibliográfico do tipo exploratório-descritivo, utilizando-se os bancos de dados SCIELO, Google acadêmico, com as palavras-chave mediante consulta aos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) da Bireme: Helianthus annuus, propriedade terapêutica, cicatrização. O estudo foi composto por 15 artigos, além de dissertação, e monografia em português e inglês entre os anos de 1988 a 2015. Verificou-se que a semente de girassol, possui em seu óleo o ácido oléico e uma grande abundância de ácidos graxos insaturados, especialmente o ácido linoléico, composto importante na reversão de feridas na pele e dermatoses cutâneas. Vale ressaltar que há comprovação científica relacionado a eficácia no processo de reparação tecidual do óleo da semente do girassol (Helianthus annus), além de apresentar um custo acessível para a população podendo ser uma opção terapêutica diante da diversidade de produtos para cicatrização existente no mercado. 


Texto completo:

PDF


ISSN: 2358-9124

© Unicatólica. Todos os direitos reservados.

Este sistema é mantido pelo Núcleo Educacional de Apoio Digital.