AROMATERAPIA: TRATAMENTO NÃO CONVENCIONAL DA ALOPÉCIA FEMININA

Lucas de Sousa Nobre, Dumar Del Rio Almeida Nunes, Francisco José Sousa Marques, Douglas Lopes Campos Peixoto, Cinara Vidal Pessoa

Resumo


Alopécia designa a perda parcial ou total, senil ou prematura, temporária ou definitiva dos pelos ou cabelos. Os cabelos tem grande importância na estética da mulher e são muito valorizados como característica feminina. A perda deles traz enorme significado em relação à auto-estima sendo motivo frequente de busca de tratamento. Uma das práticas de tratamento é a aromaterapia. Diante disso, o presente estudo tem como objetivo enfatizar a eficácia da aromaterapia através dos óleos essenciais, como terapia não convencional da alopécia feminina. Realizou-se um estudo bibliográfico do tipo exploratório-descritivo, utilizando-se os bancos de dados SCIELO e GOOGLE ACADÊMICO, com as palavras-chave mediante consulta aos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) da Bireme: alopecia, óleos essenciais, aromoterapia. O estudo foi composto por quatro artigos publicados entre os anos de 2005 a 2012. Verificou-se que a forma de tratamento dos óleos essências se dá através do sistema circulatório, pois eles possuem moléculas pequenas o bastante que podem penetrar através da pele. Alguns exemplos de óleos para tratamento da alopecia são: alecrim, capim limão, cedro, Ylang Ylag, lavanda, milefólio, sálvia. É importante destacar que as terapias não convencionais, como a aromaterapia, objeto de estudo desta pesquisa, possui uma grande relevância terapêutica em suas ações no couro cabeludo. Seu produto principal são extratos de óleos essenciais, e para a sua indicação, requer um conhecimento voltado para os seus efeitos colaterais (principalmente alergias), condições de saúde do paciente e uso correto dos extratos de óleo essencial.


Texto completo:

PDF


ISSN: 2358-9124

© Unicatólica. Todos os direitos reservados.

Este sistema é mantido pelo Núcleo Educacional de Apoio Digital.