REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE AS PRÁTICAS TERAPÊUTICAS MÉDICA E PSICOLÓGICA COM BASE NAS NARRATIVAS DOS USUÁRIOS DA POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL DO CAPS AD III DE QUIXERAMOBIM (CE)

Sulyanne da Silva Ferreira, Taís Bleicher

Resumo


O cuidado quanto aos diversos usos de drogas possui uma complexidade que necessita da articulação de diversos campos de saber e categorias profissionais. No entanto é o usuário, tomado como sujeito da política pública, que deve guiar sua construção, e não o contrário. Daí a justificativa deste trabalho. Teve como objetivo a análise das representações sociais dos usuários da política de saúde mental do município de Quixeramobim - CE sobre as práticas terapêuticas médica e psicológica, desempenhadas em um CAPS AD - III. Para a realização e obtenção dos objetivos da pesquisa, foram entrevistadas 06 (seis) pessoas que compõem o quadro de pacientes do CAPS AD do município em questão. A fim de verificar as representações sociais sustentadas pelos usuários acerca da terapêutica psicológica e médica, foram utilizados como instrumento entrevistas semi-estruturadas. Os dados obtidos por meio das narrativas dos usuários foram trabalhados a partir de categorias centrais do presente estudo. Em geral, contudo, nossas hipóteses direcionam-se à concepção de que a forma de organização do CAPS AD III de Quixeramobim está pautada nos pressupostos biomédicos e organicistas de atenção, o que talvez seja um dos indicativos da dificuldade de apreender, por meio das narrativas dos usuários, um discurso mais amplo que englobe a complexidade do sujeito. Conclui-se haver a necessidade de reformulação de estratégias de intervenção das terapêuticas, bem como das diretrizes para um melhor aperfeiçoamento do atendimento aos usuários do sistema.


Texto completo:

PDF

Referências


BLEICHER, T. A política de Saúde Mental de Quixadá, Ceará (1993-2012): uma perspectiva histórica do sistema local de Saúde. Tese (doutorado em Saúde Coletiva). Doutorado em Saúde Coletiva, Associação Ampla - Universidade Federal do Ceará, Universidade Estadual do Ceará e Universidade de Fortaleza, Fortaleza, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. 86 p.

______¬. Portaria nº 130, de 26 de janeiro de 2012. Redefine o Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e outras Drogas 24 h (CAPS AD III) e os respectivos incentivos financeiros. Disponível em: Acesso em: 07 set. 2015.

FREITAS, F.; AMARANTE, P. Medicalização em Psiquiatria. 22ª Ed. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2015. p.: 11-29.

MANZINI, E. J. A entrevista na pesquisa social. Didática, São Paulo, v. 26/27, p. 149-158, 1991.

TRINDADE I.; TEIXEIRA, J. A. C. Psicologia nos Cuidados de Saúde Primários. 2ª Ed. Lisboa: Climepsi Editores, 2007. p.: 17-40.

SOUZA, R. L. Cachaça, vinho, cerveja: da Colônia ao século XX. Estudos históricos; 2004; p. 56-75.




ISSN: 2446-6042

© Unicatólica. Todos os direitos reservados.

Este sistema é mantido pelo Núcleo Educacional de Apoio Digital.