A CRISE DA PESQUISA JURÍDICA E SEUS DESAFIOS EM FACE AO MOVIMENTO DO POLITICAMENTE CORRETO

Thales Amaro de Lima, Saulo Nunes de Carvalho Almeida

Resumo


A não percepção dos principais anseios sociais, um processo de pesquisa que tem dificuldade em ser multidisciplinar e que não visa o desenvolvimento de temas que possam trazer uma evolução social, bem como uma, possível, censura prévia de alguns temas trazem um problema complexo para uma ciência transformadora. O presente trabalho tem como intuito o de trazer ao debate a problemática do ensino jurídico brasileiro na atualidade, bem como a consequência que seu atraso metodológico pode causar na ciência jurídica, e de como o movimento do politicamente correto, através de seus conceitos e paradigmas, pode tornar ainda mais ultrapassada as pesquisas cientificas relacionadas a alguns temas considerados como tabu por uma parte da sociedade hegemônica. Podendo ser constatado através de revisões bibliográficas que a pesquisa na área do direito ainda se apega a métodos e metodologias arcaicas e fundamentalistas, que surtiram efeitos em outro contexto histórico, político e social, tendo dificuldades em contribuir a ciência jurídica atual. Assim, é possível concluir que os temas que são considerados tabus devem ser debatidos, questionados, pesquisados para, então, deixarem de ser estigmatizados como tal, deixarem de ter em seu bojo esse estereótipo preconceituoso e obscuro que só uma sociedade desinformada considera aceitável.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Conselho Nacional de Educação (CNE). Câmara de Ensino Superior (CES). Parecer CNE/CES nº 0055/2004, aprovado em 18 de fevereiro de 2004.Brasília, 2004. Disponível em: . Acesso em: 12 de mar. 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB nº 15/2010. Brasília, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Superior. Edital nº 04/1997. Brasília, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/e04.pdf. Acesso em: 12 março 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº. 9, de 29 de setembro de 2004. Brasília, 2004. Disponível em: . Acesso em: 12 de mar. 2016.

CABRERA, Miriam Regiane Dutra. A questão do politicamente correto em temáticas relativas à homossexualidade e seus reflexos na representação da informação. 2012. 113f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista. Disponível em: http://repositorio.unesp.br/handle/11449/93680. Acesso em: 05 de jul. 2016.

CARREIRÃO, Bruno de Oliveira. A Liberdade de Expressão versus o Politicamente Correto. 2012. 66 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) Faculdade de Direito, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa/ Paulo Freire. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (Coleção Leitura). Disponível em: . Acesso em: 13 de mar. 2016.

LEISTER, Margareth Anne; TREVISAM, Elisaide. A necessidade da transversalidade no ensino jurídico para uma efetiva contribuição do jurista no desenvolvimento da sociedade: um olhar segundo reflexões de Edgar Morin. In Ensino do direito em debate: reflexões a partir do 1° Seminário Ensino Jurídico e Formação Docente / José Garcez Ghirardi e Marina Feferbaum (organizadores). - São Paulo: Direito GV, 2013. - (Série pesquisa Direito GV).




ISSN: 2446-6042

© Unicatólica. Todos os direitos reservados.

Este sistema é mantido pelo Núcleo Educacional de Apoio Digital.