A EDUCAÇÃO EM SAÚDE BUCAL COMO PRÁTICA DO TRABALHO DO CIRURGIÃO DENTISTA

Adrícia Kelly Marques Bento, Cláudia Holanda Mendes Maia, Kelvin Saldanha Lopes, Cosmo Helder Ferreira da Silva

Resumo


O conhecimento dos cirurgiões-dentistas sobre as práticas de educação em saúde bucal é de extrema relevância para que se possa viabilizar uma transmissão de informações com sucesso. Com isso, o quadro de problemas bucais dos usuários dos serviços público de saúde possa assim, ser prevenido resultando em uma melhoria na situação epidemiológica de saúde bucal brasileira. O objetivo do estudo foi ter o conhecimento da pratica de atividades preventivas realizadas por cirurgiões-dentistas locados nos serviços públicos de saúde, identificando o uso das atividades de educação em saúde, planejamento e limitações para realização. Trata-se de um estudo transversal, descritivo e com abordagem quantitativa. O estudo foi realizado através de um questionário estruturado aplicado a 77 cirurgiões-dentistas trabalhadores da rede pública de saúde do Estado do Ceará. Dos entrevistados 65% (n=50) desenvolvem atividades de educação em saúde bucal e 97% (n=75) acreditam que as práticas preventivas são capazes de minimizar a incidência de cárie. Para 53% (n=41) dos cirurgiões-dentistas existem dificuldades para realização das atividades, devido à falha de recursos financeiros. Considerando que a educação em saúde bucal tem baixo custo e hoje é bastante requisitada, apresentando grande impacto e boas possibilidades de melhoria no âmbito público e coletivo, após obter resultados do presente estudo, nota-se ainda uma falha nas práticas preventivas, pois uma parcela considerável não as desenvolve e muitos ainda encontram dificuldades financeiras para o desenvolvimento das mesmas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M. U.; VOLSCHAN, B. C. G.; HAAS, N. A. T. Educação em Saúde Bucal: Sensibilização dos Pais de Crianças Atendidas na Clínica Integrada de Duas Universidades Privadas. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, v. 4, n. 1, p. 47-51, jan./abr. 2004.

CASTRO, C. O. C.; OLIVEIRA, K. S.; CARVALHO, R. B.; GARBIN, C. A. S.; SANTOS, K. T. Programas de educação e prevenção em saúde bucal nas escolas: análise crítica de publicações nacionais. Odontol Clín Cient, Recife, v. 11, n. 1, p. 51-56, jan./mar. 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Pesquisa mundial de saúde no Brasil: como os brasileiros auto-avaliam sua saúde? Informe da Atenção Básica no 24; Ano V, Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

NARVAI, P. C. Saúde bucal no PSF: SUS ou SUSF. Jornal do site Odonto.2005.

PORTO, V. M. C. Saúde bucal e condições de vida: uma contribuição do estudo epidemiológico para a inserção de atenção à saúde bucal no SUS. Dissertação de mestrado. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina de Botucatu 2002.

SINKOÇ, C. R. Educação em saúde bucal e a motivação do paciente. Rev Odontol Univ Santo Amaro, v. 6, n. 2, p. 40 – 42, 2001.

SOUSA, A. C. M. Adolescentes e Saúde Bucal: entre a estética do belo e a preservação orgânica. Fortaleza: UECE, 2008.

SOUZA, D. J.; CURY, J. A.; CAMINHA, J. A. N.; FERREIRA, M. A.; TOMITA, N. E.; NARVAI, P. C. A inserção da saúde bucal no Programa Saúde da Família. Revista Brasileira de Odontologia em Saúde Coletiva. v. 2. Pag. 7-28. 2001.




ISSN: 2446-6042

© Unicatólica. Todos os direitos reservados.

Este sistema é mantido pelo Núcleo Educacional de Apoio Digital.